NASD11: Vale a Pena Investir em NASDAQ?

NASD11

25 de setembro de 2023

Ícone de Compartilhamento

NASD11 é um ETF que busca replicar a performance das 100 maiores empresas listadas na NASDAQ, a bolsa de valores americana com foco em tecnologia.

É um investimento válido para quem busca diversificar seu portfolio de maneira geográfica e cambial.

Destaques

  • Lançado em 2021, ele é gerido pela XP Asset e administrado pelo Banco BNP Paribas.
  • O ETF não distribui dividendos, mas reinveste todo o patrimônio no próprio fundo.
  • Ele acompanha a variação do dólar, ou seja, quando a moeda americana apreciar, o valor do fundo também vai subir. O oposto é verdadeiro.

O que é NASD11

Em poucas palavras, NASD11 é um fundo de índice (ETF) que busca replicar a performance do seu índice de referência.

O índice de referência do fundo é o NASDAQ 100.

Como o funciona esse ETF?

Os ETFs (Exchange Traded Fund) são uma classe de ativos que busca trazer simplicidade e praticidade para os investidores pessoa física. Por meio dessa ferramenta, é possível investir em dezenas de empresas simultaneamente, adquirindo uma única cota do fundo.

  • Operacionalmente:
    • O NASD11 compra cotas de seu fundo alvo, chamado INVESCO QQQ TRUST SERIES 1, listado nos EUA.
    • Esse fundo busca replicar o índice NASDAQ 100, que incluir as 100 empresas mais relevantes da NASDAQ.
    • Consequentemente, o NASD11 replica a o NASDAQ 100.
  • Na prática, ao adquirir uma única unidade de NASD11 o investidor está adquirindo todas as 100 maiores empresas listadas na NASDAQ, a segunda maior bolsa de valores do mundo.

Funcionamento do índice NASDAQ 100

Criado em 1985, o NASDAQ 100 é um índice para acompanhar a performance das 100 maiores empresas listadas na NASDAQ, excluindo aquelas exclusivamente do setor financeiro.

Entendendo a NASDAQ

Com mais de 3300 empresas listadas e uma capitalização de suas empresas listadas superior a 20 trilhões de dólares, a NASDAQ é uma referência no mercado de capitais global.

Ela possui taxas bastante competitivas, menos burocracias e maior uso da tecnologia, como realizar tradings de maneira 100% digital.

Essas vantagens logo atraíram um mix específico de empresas interessadas em listar suas ações na NASDAQ. A bolsa é famosa por atrair muitas empresas ligadas ao setor de tecnologia, apesar de abranger também diversos outros setores.

Composição do NASDAQ 100

Em ordem de peso, temos:

  1. Apple Inc.
  2. Microsoft Corp.
  3. Amazon.com Inc.
  4. NVIDIA Corp.
  5. Meta Platforms Inc.
  6. Tesla Inc.
  7. Alphabet Inc.
  8. Broadcom Inc.
  9. Costco Wholesale Corp.
  10. Pepsico Inc.
  11. Adobe Inc.
  12. Cisco Systems Inc.
  13. Comcast Corp.
  14. Netflix Inc.
  15. T-Mobile US Inc.
  16. Advanced Micro Devices Inc.
  17. Texas Instruments Inc.
  18. Amgen Inc.
  19. Intel Corp.
  20. Intuit Inc.

Entre outras gigantes, como Booking, Starbucks e Airbnb.

Características gerais do ativo

Código ISINBRNASDCTF007
Código de negociação na B3NASD11
Índice de referênciaNASDAQ 100
Taxa de administração0,3% ao ano
Tributação15% sobre ganho de capital
Exposição cambialEm dólares (USD)

Instituições financeiras envolvidas

  • Administrador: Banco BNP Paribas
  • Custodiante: Banco BNP Paribas
  • Gestor: XP Asset Management
  • Formador de mercado: Credit Suisse S.A.

Contatos

  • Diretor responsável: Frédéric Jean-Christophe Thomas
    • Email: atendimentoafs@br.bnpparibas.com
    • Tel: (11) 3841-3157
  • Escriturador: Banco BNP Paribas
    • Email: sebastiao.freitas@br.bnpparibas.com
    • Tel: (11) 3841-3463

O fundo paga dividendos?

Assim como a imensa maioria dos ETFs brasileiros, o NASD11 não paga ETFs, mas reinveste seus proventos no próprio fundo.

Ou seja, a expectativa de um investidor de NASD11 deverá ser de ganhar na apreciação do valor do ativo e não de receber pagamentos recorrentes.

Caso tenha interesse em saber mais sobre outro ETF focado em mercados internacionais, conheça o XINA11.

Como investir em NASD11.

O processo é bem simples:

  • Abra sua conta em alguma corretora regularizada, como XP Inc, BTG Digital, Rico, etc…
  • Acesse o home broker
  • Busque o ticker NASD11
  • Selecione o número de cotas e o valor que deseja pagar por elas
  • Pronto! Você agora é cotista do fundo.

NASD11 vale a pena?

Nessa seção vamos debater os prós e contras do investimento:

Vantagens

  • Praticidade em acessar as 100 maiores empresas da NASDAQ com um simples investimento.
  • Custos competitivos, com uma taxa de administração de apenas 0,3% ao ano.
  • Diversificação global e setorial, com o NASDAQ 100 sendo um dos poucos índices com tantas empresas norte americanas de tecnologia.

Desvantagens

  • O fundo não distribui dividendos, o que gera uma ineficiência fiscal e pode ser uma desvantagem para investidores mais conservadores.
  • A gestão é passiva e segue cegamente o índice de referência, mesmo quando há oportunidades ou mitigação de riscos fora dele.
  • Além dos riscos inerentes ao ativo, há também o risco cambial de depreciação do dólar frente ao real, que acarretaria em perdas ao investidor.

NASD11 x IVVB11

Enquanto o NASD11 reflete o desempenho das 100 maiores empresas da NASDAQ, o IVVB11 reflete o desempenho das 500 maiores empresas do S&P.

Há muitas similaridades:

  • Exposição ao mercado americano
  • Ambas não pagam dividendos
  • O processo de adquirir ambas é o mesmo
  • Ambas possuem as mesmas implicações fiscais

A principal diferença é que as empresas do NASD11 acabam sendo mais relevantes no setor de TI, o que nos últimos anos resultou em uma maior valorização do ativo, frente às empresas constituintes do IVVB11.

Porém, nada garante que esse comportamento continue no futuro.

Conclusão

O NASD11 é uma ótima opção de investimento para aqueles que buscam diversificar sua carteira e/ou aumentar sua exposição ao dólar americano.

Esse ETF cumpre todos os pré-requisitos de um ótimo ETF:

  • Gestão sólida
  • Liquidez diária
  • Taxas competitivas

O que você achou deste artigo?

Clique nas estrelas

Média da classificação 5 / 5. Número de votos: 7

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Compartilhe:

Tags: